Treinar com barra ou halteres, o que é melhor?
10 de Maio de 2018
Musculação para idosos, como montar o treino corretamente!
12 de Maio de 2018

Quando falamos de definição muscular os alunos já perguntam, vou fazer mais Exercícios Aeróbicos? Eu sempre respondo, claro que não afinal quem é mais definido o atleta da ginástica olímpica ou da maratona.

O mito

Esse mito cresceu porque os índices de obesidade aumentam diariamente no mundo, em consequência, sobem também a procura e adesão por programas de exercícios físicos. Mas infelizmente, muita gente passa pouco tempo praticando exercícios e cria um veredicto – que é falso – de que não conseguem emagrecer, mesmo praticando atividade física.

Graças a isso, começam a aparecer alguns questionamentos a respeito do direcionamento do programa de treino para emagrecimento. Mas por que os programas de exercícios para emagrecimento recebem tantos questionamentos? Eles podem conter armadilhas que atrapalhem o processo de emagrecimento? Vamos responder agora!

Os fatos

Mas para uma resposta assertiva desta pergunta, é necessário entender primeiro que um sucesso de um programa de emagrecimento está pautado não só na melhora da composição corporal, como também em sua manutenção.

Para isso, tem de haver interferências positivas em três elementos: efeito termogênico dos alimentos, gasto energético nas atividades diárias e o metabolismo de repouso. Então você tem que perder gordura e não peso.

Porque o aeróbio não emagrece

Vários artigos vem mostrando que só ter aeróbio no seu programa de treinos, causa modesto emagrecimento de 2kg no máximo (falando de peso em geral, o que pode incluir massa muscular magra).

E para potencializar a perda de peso, deve-se introduzir controle alimentar restritivo e, nesses casos, a soma de aeróbico e dieta proporciona as mesmas perdas que fazendo apenas dieta. Mas adotar uma vida ativa acompanhada de dieta leva às mesmas perdas e previne melhor o “efeito sanfona” de maneira mais eficiente do que com aeróbicos de baixa intensidade e alto volume.

Com estas afirmações, podemos claramente observar a primeira e principal armadilha dos exercícios aeróbicos de baixa intensidade e longa duração: esta abordagem precisa ser somada a dietas restritivas, obrigatoriamente. Sozinhas, os resultados serão nulos ou irrisórios.

Então o ciclo vicioso do exercício aeróbio de baixa intensidade é, faço mais aeróbio e restrinjo a ingestão de calorias para emagrecer, mas meu corpo responde degradando massa muscular e aumentando minha % de gordura e dessa forma paro de perder peso.

O fato é que essa abordagem tradicional não funcionou durante décadas e mesmo assim vem sendo aplicada como uma “solução burra” e continua deixando as pessoas perdidas e obesas. Então, é necessária uma revolução para que se tenha algo mais eficiente e sustentável.

Conclusão

Como uma adaptação mais interessante devemos focar em programas mistos, com foco no aumento da massa muscular (para gastar mais calorias em repouso) treinos aeróbios mais curtos e intensos para aumentar a capacidade de queimar gordura em repouso sem afetar o ganho de massa muscular.

Leia mais

Rodrigo Ramos
Rodrigo Ramos
Sou Graduado em Educação física e Pós-graduado em Fisiologia do Exercício e Reabilitação Cardíaca. Atuei por mais de 10 anos na Reabilitação Cardíaca e no ensino superior ministrando aulas na Graduação e Pós Graduação nas disciplinas de fisiologia do exercício, treinamento desportivo e avaliação das capacidades física. Trabalho como personal trainer a mais de 15 anos na cidade de Santos, em 2012 fundei o site wwwmusculacaoonline.com.br para oferecer um serviço de personal trainer com suporte online.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *