Top 3 – exercícios de musculação para ter o bumbum perfeito
24 de janeiro de 2018
Recuperação do ligamento colateral lateral na musculação
25 de janeiro de 2018

Os casos de Lúpus vem crescendo no Brasil, e muito leitores do blog da personal trainer online tem dúvidas sobre a doença e se pacientes com a doença podem fazer musculação.

O que é Lúpus?

O lúpus é uma doença inflamatória crônica, de forma mais explicativa, é uma doença que é autoimune, as próprias defesas do corpo que atacam o organismo do indivíduo.

Geralmente, ele pode atacar apenas na pele, não passando a doença para outros órgãos do corpo. Mas, infelizmente isso também pode vir a acontecer, e assim a doença começa a atacar rins, articulações, sangue. Isso muda de pessoa para pessoa.

O lúpus apresenta crises que podem variar de intensidade, duração, gravidade. Essas crises vem e vão à todo momento, é bom ficar atento.

Quais casos mais frequentes?

Mulheres com idade fértil entre 20 e 40 anos são as que mais apresentam essa doença. Homens e crianças também podem vir a ter Lúpus, mas em pesquisas rápidas, podemos falar que a cada 10 pessoas, 9 são mulheres nesta faixa de idade. É uma doença a qual não é transmissível, mas, todo cuidado para com a pessoa, é importante.

Como o Lúpus surge?

Essa doença é multifatorial, isso quer dizer que, vários são os fatores ao qual levam a doença, que juntos, podem desencadear o Lúpus.

Um dos fatores é a genética. Outro é que nas mulheres existe um hormônio que se chama “ estrógeno “, ele também é um fator que pode levar a doença.

Outro fator que às vezes nem levamos muito em conta, são os remédios. Sim, os remédios que as pessoas ingerem durante a vida inteira, existem remédios que desencadeiam esta doença, por isso é fundamental que o médico saiba de todos os remédios que você utiliza.

Como diagnosticar?

Nem sempre é uma tarefa fácil. Apenas se a pessoa já está com todos os sintomas bem avançados ou aparece algo “ de errado “ no exame de sangue. Mas nem sempre é assim…

Muitas vezes os sintomas não aparecem assim com tanta facilidade, e enquanto isso, e em silêncio, a doença vai afetando os outros órgãos do corpo, aos poucos. E às vezes não aparece nada de errado no exame de sangue, por isso, não podemos confiar tanto nisso.

Por esse e outros motivos, existem alguns critérios para ser feito o diagnóstico da doença.

Com o exame de sangue, ás vezes não é possível diagnosticar a doença, por isso, muitas vezes é feito uma biópsia da pele, e principalmente dos rins, para chegar ao diagnóstico correto.

Algumas medidas são importantes

O médico sugere que algumas medidas sejam tomadas para a melhora do paciente, como por exemplo:

  • Educação sobre a doença: saber falar para os familiares do que se trata, tirar todas e qualquer dúvida que surgirem.
  • Apoio psicológico: motivar o paciente ao tratamento, e também, na vida. Estimular os sonhos e projetos do paciente.
  • Atividade física: o estimulo da atividade física é regular para a melhora do condicionamento físico do paciente.
  • Dieta: não há indícios do que pode ou não comer, mas uma alimentação balanceada é muito recomendada, além de ser muito bom evitar sal, carboidratos e lipídios.
  • Proteger-se da luz solar e outras irradiações ultravioleta
  • Evitar, e muito, o tabagismo.

Tratamento da doença

Vale salientar que a Lúpus não tem cura. Mas que existem dois estágios da doença, uma em que ela esteja em atividade ( acordado ) e outra quando não lhe trás problema algum ( dormindo ). Como a doença não tem cura, as formas encontradas precisam deixar a doença dormindo.

E isso é feito através de medicamentos, dependendo do grau e intensidade da doença, e claro, de pessoa para pessoa. O médico entenderá como será o melhor medicamento.

Uma dica muito importante é evitar a exposição ao sol, usando chapéus, blusa de manga comprida, muito protetor solar, ficando em lugares com mais sombras também.

Tratamento da doença com a musculação

Os exercícios físicos precisam primeiramente ser de acordo com o que o paciente consegue “ sustentar “ e para que não afete o seu quadro.

Na musculação não seria diferente, os movimentos específicos podem lhe trazer algum incomodo, mas com o tempo, o paciente ganhará sua devida resistência para com tal método.

O profissional que irá ajudar no treino, precisa estar ciente do quão de dor e incômodo o paciente pode suportar, para então fazer um treino aliado à isso.

Pode-se dizer que a musculação além de ajudar no condicionamento físico, pois reduz a frequência de dores, melhora atividades do dia-a-dia do paciente, melhorando o desempenho das articulações e trazendo uma melhor qualidade de vida ao indivíduo.

Desde que, com o auxílio de um profissional da área, a musculação só trás benefícios e não se é comprovado um agravamento da doença, muito pelo contrário.

O que pode-se dizer, é que no início, os movimentos mais leves são os mais apropriados. Pois a carga vai aumentando aos poucos, conforme o condicionamento e a resistência do paciente aumenta.

Os treinos feitos por pelo menos 3 vezes por semana, reduzem também a fadiga do indivíduo. E é comprovado que o condicionamento aumenta em até 20% ao passar do tempo.

Conclusão

O que podemos concluir com este post, é que antes de tudo, o tratamento do Lúpus precisa ser feito o quanto antes e ser seguido conforme seu médico recomendar. Já a atividade física, juntamente com a musculação, precisa ser um pouco mais focada no que o paciente precisa.

A musculação pode ajudar de diversas formas. Seja no condicionamento físico, quanto na auto estima e melhora da saúde do paciente, desde que os treinos sejam muito bem elaborados e sob a supervisão de um profissional que estará sempre pronto para ajudar.

Lembre-se, os treinos só devem ter início após a liberação do médico, e a partir dai, ser definido o treino apropriado ao paciente. Sob supervisão de ambos os profissionais, a saúde só tem a melhorar. Bons treinos!

Bibliografia:

Thais Lima
Thais Lima
Graduanda em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, na instituição de ensino Esamc Santos. Responsável por fazer a pesquisa, seleção e produção dos melhores conteúdos sobre treinamento, nutrição, gestão de stress e sono, dieta e suplementação.

8 Comentários

  1. Talita disse:

    Eu notei que após 6 meses de musculação, com dieta acompanhada por nutricionista, não obtive resultado como esparava que fosse ( como era antes do lúpus. Meu corpo não aderiu bem a suplementos e tuve que parar imediatamente com uso. Tenho 32 anos, tenho lúpus e hipertoreoidismo. Perdi peso com dificuldade e agora vejo poca definição no corpi pelo tanto que eu malho. O que fazer?

    • Rodrigo Ramos disse:

      Tem que controlar o hiper pois ele potencializa a perda da massa magra, e verificar se a medicação para o lúpus não está afetando a síntese proteica.

      Att

  2. Daiene alves da rochA disse:

    Ola! Que tem lupus pode whey protein?

  3. Jaciara disse:

    Qual suplemento para quem tem lupus? Oq pode?

    • Rodrigo Ramos disse:

      Olá, boa tarde! Essa é uma questão complexa que precisa do acompanhamento de uma nutricionista com experiência no tratamento de doenças autoimunes.

      Att

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *