Brownie Fit de Batata Doce para comer sem culpa
31 de julho de 2016
Fazer treino aeróbico em jejum, da resultado mesmo?
25 de setembro de 2016

O treino de musculação para criança envolve uma série de preconceitos. Isso porque, nem pais e nem profissionais da saúde, geralmente, não enxergam benefícios em um treinamento de força para crianças e adolescentes.

Inclusive, muitas academias restringem a participação de alunos com idades de 14 a 18 anos. A grande preocupação é que os exercícios físicos venham de alguma forma, influenciar no crescimento daquela criança ou adolescente.

Musculação para crianças & Ciência

A ciência apresenta alguns estudos transversais. Aí você se pergunta o que é isso? É aquele estudo onde é avaliado apenas o “retrato” de determinado tema, ele é apenas observacional. Eles indicam que as crianças e adolescentes submetidos a atividades de força ou potência, tais como ginástica ou a própria musculação, têm uma tendência a serem mais baixas do que aquelas que praticam outros esportes, como o basquete.

Vamos analisar dois atletas bastante conhecidos por nós, o ginasta Arthur Zanetti, por exemplo. No auge de seus 1,56 cm, fica difícil imaginar que ele se daria bem em um esporte como o basquete, repleto de brutamontes.

Ou, que o astro da NBA, Anderson Varejão, com seus 2,08 cm, conseguiria movimentar-se tão bem pendurado às mesmas argolas que Zanetti. Sabe por que isso acontece? É simplesmente pela tal “seleção natural”.

Assim, um “sucesso” ou “fracasso” esportivo guiam algumas crianças e adolescentes a algumas modalidades de acordo com suas características físicas. Evidência de que a musculação prejudique o crescimento? Não há nadinha.

Claro, devem-se tomar alguns cuidados. Por exemplo, é importante reconhecer que crianças e adolescentes estão em fase de crescimento, ou seja, estão se desenvolvendo muscularmente, de modo que a carga de treinamento e a execução dos movimentos devem ser ajustadas, para que não venham a lesionar o disco epifisário (responsável pelo crescimento longitudinal dos ossos).

A lesão neste disco, ocasionados por má formulação de treinamento, causam assimetria dos membros, imagina um braço maior que o outro, com uma diferença considerável? Tenha certeza que é muito pior do que ficar baixinho.

Tem outro agravante, geralmente, jovens quando iniciam um treino de musculação, estão em busca já de corpos esculturais e querem que isso aconteça rapidamente. A questão é que durante a puberdade, não há um ambiente hormonal favorável ao crescimento de músculos, o treinamento de musculação promove ganho de força, porém os ganhos em músculos são menores.

Então, na pressa de conseguir o resultado de forma mais rápida, muitos adolescentes passam a correr atrás de substâncias ilícitas, tais como esteroides anabolizantes. Além de todo o mal que estes medicamentos causam aos seus usuários, os adolescentes correm um risco a mais com a sua utilização. Trata-se do precoce “fechamento” dos discos epifisários, afetando, de fato, o crescimento.

É correto então dizer que atividades de força para crianças e adolescentes não prejudicam o crescimento delas, desde que sejam realizadas sob a supervisão de um profissional qualificado, conhecedor e certificado para lidar com este público.

Porém, vale lembrar que o processo de crescimento é extremamente vulnerável, no qual estímulos indevidos (como os citados acima) devem trazer consequências negativas irreversíveis ao organismo, incluindo é claro, a redução do crescimento.

Referência

 

Rodrigo Ramos
Rodrigo Ramos
Sou Personal Trainer, especialista em programas de hipertrofia e definição muscular. Se tiver alguma dúvida CLICA NO ÍCONE DO WHATSAPP no canto inferior DIREITO da tela OU na imagem no meio do POST para falar diretamente comigo! Boa leitura!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?